Ganhe R$80 por Dia. SEM INDICAR NEM VENDER


Será que existe amor perfeito?

Precisando de Dinheiro?

Ganhe até $80 por Dia
Sem Indicar Nem Vender
Forneça seus Dados para Começar

Recebi este e-mail:

Confesso que tenho medo de amar. Aos meus 32 anos nunca tive um relacionamento íntimo. Já tive vários namorados e os desejei muito, mas todos terminaram comigo por eu preservar tantos conceitos morais. Apesar do medo de sofrer, estou disposta a mudar, pois quero ter um relacionamento e parar com esta busca do amor perfeito.

Quando eu era menino eu não perdia um capítulo do seriado ‘Papai sabe tudo’, que retratava uma família americana, com pai, mãe, filhos, gato, cachorro, todo mundo perfeito. Aquilo gerava uma culpa muito grande na gente, pois aquele modelo americano, editado no programa de TV, era muito distante do que vivíamos de fato. Em frente à telinha, éramos levados a acreditar que o amor perfeito acontecia para todos, mas a realidade mostrava que não era bem assim. Dentro de nossas famílias existiam conflitos, situações mal resolvidas e nem tudo era contos de fadas.

Crescemos e carregamos dentro de nós os padrões emocionais que aprendemos durante nossa vida, particularmente em nossa infância, e é a partir destes padrões que vamos nos relacionar no mundo adulto. Pode ser que você tenha sido condicionado a ver sua família tão editada como a família do antigo seriado, sem nenhum senso crítico. As pessoas são ruins, você é bom. Elas são fracas, você é forte. Você é muito legal, os outros é que não prestam. Com esta visão distorcida, você não reconhece os seus próprios defeitos, vivendo um ideal que não existe.

Está formada assim a personalidade neo moralista, de alguém que prega a verdade, que acha que sabe tudo, que se sente superior, que humilha, mas que está condenado a estar só. Outro caminho, mais sábio, é reconhecer com humildade, que dentro de nós existe tanto o bem como o mal, que ninguém é perfeito, que também temos nosso lado escuro. Assim, você fica mais condescendente com os outros, aceitando-os do jeito que são.E quando você coloca os pés no chão e entende que é feito de carne e osso como todos, sai da proteção, torna-se mais acessível e permite que alguém chegue mais perto. Sem tantas resistências, você fica mais vulnerável e mais aberto para que o amor lhe aconteça, mesmo que não seja tão perfeito assim.
Agende um aconselhamento com Sergio Savian, autor deste texto, pelo telefone 011 2368-9305 ou escreva para atendimento@sergiosavian.com.br

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Talvez você goste disso também:

DOBRE SEU INVESTIMENTO em 90 DIAS

Não precisa indicar ninguém para dobrar seu investimento em 90 dias.

Basta Acessar oTudo.com/GC e Cadastrar-se.



Sobre: sergiosavian

Sergio Savian é terapeuta (CRT: 27.687) e escritor, focado na consciência e melhoria das relações humanas. Desde 1982 trabalha com aconselhamento, terapia corporal, meditação, palestras, cursos e consultorias, atendendo milhares de pessoas e centenas de empresas. Escreveu treze livros sobre o comportamento humano. Savian colabora sistematicamente com a mídia de todo o país que o solicita a opinar sobre as transformações do comportamento humano atual, particularmente quando o assunto são os relacionamentos amorosos e mudança de hábitos. Seu consultório está localizado na cidade de São Paulo, onde recebe pessoas de todo o Brasil para o atendimento individual e/ou de casal. Para quem vive em outras cidades ou estados, é possível agendar atendimentos por telefone, Skype ou MSN. sites: www.sergiosavian.com.br / http://relacionamentoamoroso.net.br/blog/ Sergio Savian escreveu mais de 11 livros confira todos eles aqui ! http://www.sergiosavian.com.br/livros-cds-e-dvds/index.html Facebook: www.facebook.com.br/SergioSavian Twitter: http://twitter.com/sergiosavian

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
11 − 11 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>