Quando você estiver grávida

A gravidez é uma das fases mais malucas, intensas, psicóticas, calorentas, chorosas, infames e pesadas (nos dois sentidos) da vida de uma mulher. Não importa se ela engravidou “antes da hora” ou com planejamento, não importa se ela é mais nova ou mais velha, se tem dinheiro à vontade ou conta moedas todos os dias: tem uma vida ali dentro, uma vida que depende COMPLETAMENTE dela, do que come, dos remédios que toma e do carinho que ela está disposta a dedicar.

Muitas coisas invadem a mente das gravidinhas nessa fase: comida para gestante, roupas para gestantes, exercícios para gestante, médicos para gestante, como vai ser o parto, como controlar a boca durante a gravidez… perguntas e mais perguntas.

O acontecimento mais antigo e mais misterioso entre as mulheres!

 Mulher segurando Teste de gravidez

Já parou pra pensar nisso? A mulher super segura de si, que sabe todas as respostas – e as que não sabe, vai lá e descobre na maior – e que tem a solução pra maioria dos seus problemas treme nas bases assim que descobre que está grávida, quase como se tivesse descoberto uma doença algo grave, algo ruim. E não é! É só uma gravidez.

“Só??”, você pergunta. Claro, esse foi um reducionismo exagerado. Mas o que deve-se ter em mente é que é um evento natural. A reprodução humana é assim desde que nos entendemos por gente (com o perdão pelo trocadilho)! Mulheres engravidam e dão à luz há quantos milênios, afinal? E a partir de quando a gestação e parto se tornaram esse monstro de agora?

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

As últimas décadas foram de profunda transformação para as mulheres. Tornaram-se mais corajosas, se uniram e passaram a reivindicar seus direitos, passaram a trabalhar a votar, a comandar a família, a escolher entre conceber e não conceber. Além das “embalaiadas” roupas para gestantes, agora podiam praticar exercícios, fazer yoga, usar roupas mais justas mesmo com barrigão, podiam viver sua sexualidade, lavar o cabelo e tomar leite com manga à vontade e não precisavam mais passar nove meses tomando canja de galinha e evitando bagaço de laranja. As crendices caíram por terra, mas vieram outras para tomar seu lugar. Pior: vieram com vozes credenciadas.

Parto, escolinha, privacidade e liberdade zero

Grávida sentada na gramaAgora quem corria para dizer às gestantes todas as crendices nas quais ela devia acreditar “senão o bebê nasce deformado”, agora corre para dizer que “o parto normal vai te deixar larga”, “nem vou te visitar se você não fizer cesárea”, “minha vizinha quase morreu no parto, tinha que ter operado”, “ih, do jeito que escolinha tá cara, você vai ter que trabalhar dobrado”, “nossa, a fralda tá pela hora da morte”, “xiii, romance com seu marido, nunca mais”, “ai, agora é que você não vai lá em casa nunca mais, com um neném pra tomar conta”. Quer dizer: quantas palavras amigas, não é? Só que não.

Voltando ao título desse post, querida, o que queremos dizer é o seguinte: quando você estiver grávida, VIVA sua gravidez. Não antecipe os gastos que você vai ter com fralda, creche, roupa, ou o que quer que seja. Isso é coisa do futuro e você ainda estará aqui, ó, no presente. E esse é um presente que passa muito depressa. A pessoinha que vai estar dentro de você não sabe de nada do que acontece aqui fora e, por nove meses, só vai ter a sua voz para se apoiar, só vai ter seu canto e o número infinito de carinhos que você vai fazer na barriga que crescerá mais e mais. VOCÊ é o porto seguro de uma vida nova; use sua intuição e perceba que os “conselhos” negativos só sobtraem sua força, não adicionam nada. Você já está nesse mundo há alguns anos, já sabe como ele pode ser ruim, não precisa que venham lhe dizer isso, não é? Mas a criancinha ali dentro da barriga não sabe disso, nem das coisas boas que o mundo tem. Conte pra ela. Serão nove meses de ensaio, e esses meses vão passar rápido.

Grávida sentada no sofá entre amigas

Mas, sim, preocupe-se com, as roupas para gestantes que você vai precisar, com o bercinho, o enxoval e com a renda ($) que vai prover o que você e a criança vão precisar. Mas preocupe-se o necessário, nada além disso, senão você nem vai dormir! Não descuide do pré-natal, faça todos os exames, siga as orientações e se desligue das crendices, dos comentários que te deixam pra baixo e de tudo o que te faz mal.

Passeie bastante, conte histórias pro bebê (acredite, ele já está te ouvindo), conte piadas, ria bem alto! Pode não ser no primeiro dia mas vai chegar o dia em que você vai, magicamente, sentir que essa vidinha crescente ali dentro já te ama MUITO, tanto quanto você a ama. E aí pronto: você acabou de se tornar mãe.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
19 + 17 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>