O que fazer em caso de ginecomastia?

Trade de Bitcoin?

Simples! Comece Agora!

Acesse SimpleFX

Todo mundo conhece ou já ouviu falar em casos de homens, de diferentes idades, que têm ou já tiveram as mamas em tamanho maior do que o comum, com aspecto feminino. Essa condição se chama ginecomastia e causa algumas consequências desagradáveis. Ao perceber o volume aumentado, o indivíduo pode sentir-se insatisfeito com sua aparência, desenvolvendo problemas de autoestima, principalmente se sofre provocações de outras pessoas, fato comum na adolescência.

A ginecomastia é o aumento na glândula mamária masculina, e não um simples aumento no tecido gorduroso do local, comum em homens acima do peso – condição conhecida como lipomastia.

O que fazer?

O primeiro passo é entender por que esse problema ocorre. A ginecomastia tem sua origem no desequilíbrio nas taxas dos andrógenos (hormônios masculinos, principalmente a testosterona) e estrogênio (hormônio feminino). Essas oscilações são relativamente comuns em recém-nascidos (por conta da exposição aos hormônios maternos durante a gravidez), em adolescentes (por conta das modificações corporais da puberdade) e em idosos (devido à redução dos níveis de testosterona).

Além dessas fases típicas, as alterações hormonais podem ser desencadeadas por condições mais sérias de saúde, como problemas no fígado ou nos rins, hipertireoidismo e até mesmo tumores. Também podem ter sua origem em algumas substâncias, como esteroides anabolizantes, alguns medicamentos (efeitos colaterais), bebidas alcoólicas em excesso e algumas drogas.

Procurando ajuda médica

Antes de iniciar qualquer tratamento, o médico precisa identificar as causas dessas oscilações hormonais. É preciso interromper imediatamente o uso das substâncias que possam estar causando o problema. Além disso, se houver alguma condição de saúde que esteja desenvolvendo a ginecomastia como efeito secundário, o problema principal deve ser tratado antes de se pensar na ginecomastia em si.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Identificadas as causas e resolvidas as condições associadas, o médico então avaliará o grau da ginecomastia. O problema pode ter grau 1, 2 ou 3, conforme o volume da mama. Diagnosticando o grau evolutivo do problema, o médico consegue estabelecer o melhor tratamento.

Tipos de tratamento

Quando a ginecomastia não regride espontaneamente, é preciso iniciar o tratamento, que pode ocorrer de duas formas: o tratamento medicamentoso e o tratamento cirúrgico.

O tratamento medicamentoso é recomendado para os graus mais baixos de ginecomastia, ou quando há reação de dor no paciente. Geralmente, os medicamentos são recomendados para casos em que o problema se instalou há menos de um ano.

Quando os casos são mais avançados, possivelmente quando o problema já está instalado há mais de um ano, regressão espontânea e tratamento medicamentoso apenas são hipóteses descartadas. Para essas circunstâncias, é recomendada a cirurgia de ginecomastia, que consiste na remoção completa da glândula mamária. Em alguns casos, a lipoaspiração e procedimentos estéticos adicionais podem ser realizados para proporcionar ao indivíduo um tórax mais anatômico, recuperando sua autoestima.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
15 ⁄ 5 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>