Ganhe R$80 por Dia. SEM INDICAR NEM VENDER


O Idioma Brasileiro Livre

Precisando de Dinheiro?

Ganhe até $80 por Dia
Sem Indicar Nem Vender
Forneça seus Dados para Começar

O Idioma Brasileiro Livre

Muito me tocou o item oito da Política do Colaborador do oTudo.com cujo teor é este:
Escreva de uma forma meio formal, não encha de gírias, nem modifique a língua portuguesa.
Acontece que como desenvolvedor e responsável pelo Método Aieme e seus Sistemas de Estudo, Ensino, Pesquisa e Análises não poderia deixar de me pronunciar a respeito do referido item devido ao fato de que; o Aieme se utiliza não da língua portuguesa mais do Idioma que utilizamos em nosso dia a dia de norte a sul e de leste a oeste e é constituído de 180 idiomas indígenas vivos,pelo menos seis idiomas africanos, a língua portuguesa e um repositório lingüístico oriundo de vários Idiomas euro-asiáticos que nos chegaram sem intermediação da língua portuguesa.
A discussão sobre se temos ou não um Idioma se originou no final do Século XIX e saíram em defesa de nosso Idioma Pátrio eminências de nossa cultura mais como eram poucos, suas vozes foram sufocadas por aqueles que ainda tinham o cordão umbilical nas mãos dos colonizadores e eram em sua maioria figuras de peso no seio da sociedade de antanho e nos dias atuais o número destes apátridas ainda é numeroso.
Como o Aieme é a Bíblia, Cabala e o Tarô de nossa Cidadania e ainda ninguém conseguiu comprovar o contrário e para ter voz forte em sua defesa fui pesquisar se realmente temos ou não um Idioma Pátrio e fiquei surpreso com minhas pesquisas e aí estão algumas informações coletadas:
O Governo Brasileiro não tem uma definição nem palavra final a respeito se temos ou não um Idioma próprio. O governo Português também não tem.
Em Portugal existem dez dialetos. No Brasil existem doze mais outros tantos que ainda não foram estudados.
Portugal não possui idiomas nativos que embasem o seu Idioma. O Brasil tem 180.
É falta de educação um brasileiro dizer em Portugal que fala o Idioma português. A própria sociedade portuguesa reconhece que falamos um idioma diferente.
Dicionários italianos se referem a nossa língua como Idioma Brasiliano
Mediante tudo isto e respaldado pelas declarações abaixo destas Eminências de nossa erudição registrei O Idioma Brasileiro Livre cujo Alvará de registro foi expedido pelo Ministério da Cultura através do Escritório de Direitos Autorais em 24 de Janeiro de 2011.
Por trás deste drama que a maioria dos brasileiros não leva em conta por que não convém ao Sistema vigente, existe uma enxurrada de mesquinhos interesses que são comentados e estão disponibilizados no site do Aieme.
Uma raça, cujo espírito não defende o seu solo e o seu idioma, entrega a alma ao estrangeiro, (antes de ser por ele absorvida (Rui Barbosa)).
****
Assim, a língua faz parte da terra. Querem-se defender a nacionalidade, defendendo o solo, urgente que defendamos também, e antes de tudo, a língua, que se integra no solo e já é base da nacionalidade (Olavo Bilac).
****
Um homem só deve falar, com impecável segurança e pureza, a língua de sua terra; todas as outras deve falar mal, orgulhosamente mal, com aquele acento chato e falso que denuncia logo o estrangeiro. Na língua verdadeiramente reside a nacionalidade. O cosmopolitismo do verbo lhe dá irremediavelmente o cosmopolitismo do caráter. Por isso o poliglota nunca é patriota. (Eça de Queiroz)
A Terra é nossa e o Idioma também.

www.oaieme.com

Talvez você goste disso também:

DOBRE SEU INVESTIMENTO em 90 DIAS

Não precisa indicar ninguém para dobrar seu investimento em 90 dias.

Basta Acessar oTudo.com/GC e Cadastrar-se.



Sobre: jb da silva

autodidata,filósofo, artista plastico,escritor, desenhista, ilustrador,escultor e desenvolvedor de sistemas de estudo, ensino, pesquisa e análises

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
8 ⁄ 8 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>