Investir em dólar em 2017 é um bom negócio?

Fatores políticos e econômicos geram expectativa de alta no câmbio da moeda norte-americana.

O ano está só começando e quem costuma comprar dólar como forma de investimento já está de olho nas previsões do câmbio para 2017. A expectativa de quem tenta lucrar com a oscilação da moeda norte-americana é que ela repita o desempenho de 2015, quando fechou com alta de 48,4% em relação ao Real, surpreendendo positivamente todas as prévias de cotações.

No entanto, a sombra de 2016 ainda paira sobre a economia. Se em 2015 quem investiu em dólar obteve grandes retornos por conta da sua valorização astronômica, o ano passado já não pode se gabar do mesmo. Tanto que as previsões atuais são bem cautelosas: o último relatório Focus do Banco Central espera que a moeda termine este ano na casa dos R$ 3,45, com uma variação de menos de 8% se considerarmos a cotação atual da moeda (meados de janeiro) que é de R$ 3,20.

Por outro lado, é sabido que o valor das moedas no mercado de câmbio variam muito e repentinamente, sobretudo por causa de fatores econômicos e políticos internacionais, quase sempre imprevisíveis. No fim das contas, quem investe em dólar precisa contar também com a generosidade da sorte.

Vale a pena investir em dólar?

A compra de moeda estrangeira costuma ser categorizada como ativos de renda variável, o que significa que o investidor quase não tem garantia de retorno (como aplicação na bolsa de valores, por exemplo). Ele pode maximizar suas chances mantendo-se informando em fontes confiáveis de previsão, mas o risco de perder dinheiro está sempre presente.

Por isso os especialistas costumam aconselhar que a compra de dólar limite-se a um investimento voltado para viagens ou para compras internacionais. Ou ainda, caso você trabalhe com transações no estrangeiro, a compra de dólar é uma estratégia para se proteger contra altas súbitas da moeda.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

O professor Samy Dana, da Fundação Getúlio Vargas, recomenda investir em dólar para se programar para uma viagem ou se for estudar fora. “Isso ajuda a se proteger contra oscilações da moeda”, explica.

Três fatores que podem contribuir para a alta do dólar em 2017

Como mencionado acima, fatores econômicos e políticos tendem a impactar com mais força o valor do dólar frente a outras moedas. Três prováveis motivos para a alta neste ano são:

  •  Espera-se que o governo de Donald Trump seja de caráter protecionista e conservador, o que deve causar uma certa insegurança no mercado. Receosas, as empresas internacionais que investem no Brasil devem passar a preferir investir em locais mais seguros, o que significa saída de dólar do país e sua consequente valorização.
  • Outro fato ligado à política econômica dos EUA é que seu Banco Central já sinalizou, ao término do ano passado, que elevará progressivamente as taxas de juros, fator que também valoriza o dólar frente ao real.
  • Por fim, a delicada situação política brasileira, fragilizada ainda mais com recentes escândalos do governo Temer, aumenta o grau de incerteza do mercado. Novamente, isso pode acarretar na retirada de investimentos estrangeiros em dólar do país, ocasionando valorização do dólar.

Ganhe Dinheiro
Todos os Dias
Sem Vender Nada

Cadastre-se AQUI para Iniciar!

O dólar é um investimento volátil e imprevisível que pode variar bastante em poucos dias de acordo com diferentes variáveis. Mas se você quer ter parte dos seus investimentos atrelada ao dólar, é melhor optar por fundos cambiais e fundos nacionais que aplicam na moeda estrangeira.

Mas, se por um lado o investimento em dólar é desaconselhado, quem vai viajar deve ficar atento à evolução do mercado e à cotação da moeda para fazer pequenas aquisições sempre que o valor do dólar baixar.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Enter Captcha Here : *

Reload Image

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>