Em Busca dos Sonhos Perdidos

Você já ouviu seu coração hoje? O que realmente ele deseja?  Pelo  oque seu espírito anseia? Você está buscando o que realmente te faz feliz ou está buscando “vencer” na vida? Pare um momento com todo o barulho, com todas as parafernálias que te cercam e olhe para dentro: De que a sua alma sente saudade? Talvez de uma viagem que você não fez, de um amor que não viveu, de um sonho que deixou escondido, guardado lá no fundo, por considerar inadequado.

Cada um de nós é um ser único, um exemplar raro, um artista que veio ao mundo para cantar sua canção, para compor o seu poema. Não importa se ninguém entende, ou se não é suficientemente rentável ou se você ainda não foi reconhecido.  Muitos dos grandes pintores e escritores só foram reconhecidos depois de mortos. O que importa realmente é que você só é feliz quando busca o que sua alma anseia, quando se permite viver o sonho.

Nesse mundo agitado em que vivemos, estamos sempre correndo atrás de algo: Um emprego que pague melhor, uma casa maior, aparelhos eletrônicos mais modernos, roupas da última moda, enfim, tudo o que é “preciso” ter para se considerar feliz. É como se precisássemos aparentar uma realização constante, para obter a aprovação alheia. Como se tudo em nossas vidas se resumisse a correr atrás de algo, sem pensar se esse algo realmente faz parte da nossa essência.

Quantas vezes você já ouviu falar que “tempo é dinheiro”? E que para não perder tempo, perdeu muitas coisas mais agradáveis – um café naquele bar charmoso, uma hora no banco da praça observando os pássaros, uma tarde com seu filho talvez? E quantas vezes você abriu mão de seus sonhos para lutar por algo que daria mais retorno financeiro, mas que te deixa completamente infeliz?

A diferença entre um profissional razoável e um profissional excelente está na quantidade de paixão com que ele faz o seu serviço. Não tente ser médico, por ser mais rentável, se a sua paixão é mesmo a literatura. Já pensou em passar o resto da vida vendo gente doente sem ter vocação para isso? Você provavelmente acabaria com depressão ou seria um péssimo médico, pois embora algumas pessoas abençoadas vejam a medicina como a arte de salvar vidas, a maioria não teria estrutura para aguentar a realidade de um pronto-socorro. Cada um tem um dom, simples assim.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Tudo na vida é válido, desde lutar para ser um grande empresário até lutar para ser um grande jardineiro, se é entre as flores que a sua música interior toca. Talvez você vá argumentar que não é possível viver de sonhos, mas te digo que é preciso fazer alguns sacrifícios no caminho para a felicidade. Faça jornada dupla, concilie as duas coisas. Se for preciso se manter em um trabalho que te permite sobreviver enquanto não dá para viver de música, se mantenha no trabalho, mas paralelamente viva a música, ou pinte seus quadros, ou aprenda mecânica, ou política, enfim vá desenvolvendo aquele talento, aquele dom que é seu e que te realiza.

E não se esqueça nunca que a felicidade que você procura tem muito mais em comum com os caminhos que você percorre na sua busca pessoal, com os momentos que se permite ser você mesmo e se dedicar à sua verdadeira vocação do que com o saldo da sua conta bancária.

 

“Não se preocupe com a distância entre seus sonhos e a realidade. Se você pode sonhá-los você pode realizá-los.”                ( Belva Davis)

 

Talvez você goste disso também:

Sobre: silvana vieira

Livros pra mim são como álcool para alcoólatras: sem eles tenho síndrome de abstinência e é sempre preciso evitar a primeira página, pois depois vem as cem primeiras, as duzentas primeiras e só paro quando a cabeça começa a doer...escrever é consequência, é tentar colocar ordem no caos, é jogar pra fora a confusão e encontrar a serenidade que só as palavras podem me dar.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
30 + 25 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>