De volta às aulas…

Felizmente para os pais, e infelizmente para as crianças, as aulas retornaram. Após um mês de expectativas quanto ao desempenho da seleção brasileira na Copa (e todos sabemos a amargura que foi aquele chocolate alemão…) e a trabalheira que foi manter a criançada ocupada enquanto a maioria de nós ainda precisava trabalhar, as aulas retornam como um consolo: “pelo menos agora elas passam um tempo fora de casa e, quando voltam, precisam ficar quietas estudando!”.

O retorno para elas, porém, é sempre mais desagradável: até ontem elas podiam acordar quando quisessem e, agora, precisam acordar cedo e fazer tudo depressa, pra não perderem a van escolar. Aliás, elas continuam indo na mesma van? Ou teve mudanças?

Confiança adquirida

Quando os pais pesquisam entre os serviços de aluguel de vans escolares pela primeira vez, não estão simplesmente procurando uma forma de encaminhar seus filhos à escola. Estão, isso sim, procurando uma forma SEGURA de fazê-los chegar e depois voltar de lá. Isso não é pouca coisa.

Van Escolar

Ao contrário dos filhos, os pais já conhecem muito desse mundo, da cidade, do trânsito e dos outros motoristas; ou seja, eles conhecem bem todos os riscos que nos cercam o tempo todo. Obviamente eles querem garantir a segurança dos pequenos, já que eles não estarão por perto para protegê-los em caso de perigo (entendeu agora porque pra alguns pais e mães esse momento é tão aflitivo?). E é essa uma das razões para evitar uma van “baratinha”.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

O dinheiro não está sobrando? Ok. A situação está difícil para a maioria das famílias, e isso as obriga a pechinchar tudo, até a van escolar. Entretanto, a “mão-de-vaquisse” (ouvi essa expressão outro dia, adorei!) nossa de cada dia não deve nos obrigar a contratar a van mais barata que encontrarmos, sobretudo se essa van estiver barata exatamente por seu estado. Se repararmos por alguns minutos, veremos vários veículos desse tipo rodando em bom estado de conservação mas, ainda, veremos algumas que deveriam ter sido tiradas de circulação há muito tempo. Vamos detalhar algumas coisas para que você fique atento.

Vans a evitar, custe o que ela custar

A primeira e mais fácil inspeção é a visual. Quando você olha para uma van e percebe que a lataria apresenta amassados (especialmente na frente e na traseira), arranhões do tipo “raspei mesmo, e daí” nos para-choques, pontos de ferrugem (quando não são placas de ferrugem inteiras) e problemas com a pintura – como quando o veículo é deixado no sol e na chuva por muito tempo seguido -, já pode ligar a sirene. Se isso não indica que o motorista é imprudente indica, no mínimo, desleixo dele com o veículo. Vai saber como estão as suspensões, o freio e o motor! Ah, verifique também os pneus – se estiverem muito gastos – ou pior, carecas -, é outro sinal de desmazelo do dono, sobretudo com as vidas que ele está transportando. Repare também nos vidros, se estão íntegros ou com rachaduras.

Van escolar

Outra inspeção crucial: cintos de segurança. As vans são obrigadas a ter e os passageiros são obrigados a usar. Não existe essa de “dentro da cidade não precisa”. Precisa sim, inclusive (aliás, sobretudo!) as crianças. Confira banco por banco se eles têm, o dispositivo e se eles estão funcionando (regulagem, travamento e abertura da trava). Qualquer problema nessa parte é motivo pra alerta.

Dê uma conferida também na porta. Ela abre com tranquilidade? E o fechamento, ocorre bem? Ela está alinhada com a lataria, fechando sem deixar folgas? Se a abertura e/ou o fechamento da porta exigir aplicação de força ou de “jeitinho”, indica que a lataria está desalinhada. Por que? Será que aconteceu uma batida? Uma capotagem? Uma colisão lateral de outro veículo? Nesse caso, o outro veículo é que estava errado ou será que o motorista da van é que passou por um sinal vermelho e levou a pancada? Essa última você pode descobrir buscando um levantamento do histórico da van junto ao Detran – mas se o motorista não quiser informar o chassi para essa averiguação… desconfie. Afinal, quem não deve, não teme.

Uma boa prática dos motoristas de van é realizar revisões e manutenções periódicas. Se achar necessário, pergunte a ele quando foi a última inspeção e se ele pode mostrar a nota da oficina mecânica.

Claro que são várias as formas de conferir se uma van escolar é adequada para o transporte de seus filhos ou não; essas dicas são apenas uma pequena parte – e mesmo assim, não é obrigatório que você execute todas (apesar de ser o ideal). Serviços indicados por parentes e amigos (ou até pela própria escola) dispensam a maioria dessas checagens. Mas caso você esteja à procura e sem nenhuma indicação, tome o máximo de cuidado. E por mais tentador que seja, evite os serviços usando unicamente o preço mais baixo como critério. Pode ser um grande risco para seus filhos.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
26 × 29 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>