oTudo.com
Você sabia que o autor deste artigo ganha dinheiro até hoje por te-lo escrito?

Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Curso gratuito de Marcenaria aprenda sobre a arte dos laminados de madeira suas histórias na antiguidade.

29 Flares 29 Flares ×

 

Este é o nosso terceiro artigo referente a Marcenaria, essa técnica cheia de beleza e repleta de ensinamentos, eu espero que gostem e possam aprender um pouco mais sobre os processos químicos que uma madeira sobre antes de ser trabalhada e transformada em móveis, artesanatos entre outros.

Que esse curso prático possa os ajudar em suas vidas profissionais e melhorar suas chances de trabalho em um emprego melhor e mais atrativo financeiramente.

 

 

Introdução
Aqui postarei um pouco a respeito de laminados de madeiras como Compensados, MDF, aglomerados e falarei sobre chapas de formicas que são utilitários essências na vida de um marceneiro ,produtos cheios de curiosidades, histórias onde todos que querem ou que já trabalham no ramo devem saber, marcenaria tem seus fundamentos e sua história é importante para todos conhecerem que essa profissão não contrata um mero cortador de madeiras , mas sim um seguidor de longas datas que sua profissão está escrito nas historias mais antigas. Honrem e sintam no sangue a vida da Marcenaria, a profissão que hoje lhes sustentam.

 

O que são compensados?

 

 

Compensados são chapas que são formadas por finas lâminas de madeira normalmente em números impares de laminas , fabricadas através do torneamento de toras, unificadas sob pressão com resinas específicas para cada tipo de compensado. Com esse procedimento de produção o compensado é um dos materiais de mais alta resistência , ao contrário da madeira maciça que pode sofrer contrações.

Existem compensados hoje em dia no mercado de trabalho de vários tipos, como: Laminados, Sarrafeados, Multisarrafeados com colagem ureia-formol ou fenólica (produtos químicos adicionados no processo de industrialização da madeira).

Cada camada é colada de forma que a direção da grã esteja em ângulos retos em relação à camada adjacente, esse procedimento se chama de laminação cruzada. No compensado sarrafeado, seu miolo é formado de diversos sarrafos de madeira dispostos um ao lado do outro. No multisarrafeado, é a chapa considerada mais estável por que seu interior leva lâminas de mais ou menos 3mm, coladas e prensadas na vertical, fazendo um miolo bem compacto, com isso evitando o empenamento. Podem ser estruturais e são fornecidos com capas para folhear ,como por exemplo : Virolinha, Pinus, Embalagem ,ou com capas decorativas com essências fórmicas e de madeiras nobres, como: Cedro, Cerejeira, Marfim, Freijó, Virola, Padrão Imbuia, entre outras.

Existem também os painéis para construção civil, como: Plastificado, Resinado Cola Branca ou o Naval (com colagem fenólica ou à prova d’água).

 

Importante saber:

 

“Hoje em dia ,devido o desmatamento em massa e a falta de reflorestamento fez com que a sociedade atual buscasse um novo tipo de desenvolvimento em seu trabalho com a madeira .

 Assim surgiu uma nova consciência ambiental, que protegendo um pouco mais a mata ,

exige a produção de materiais sustentáveis e, como resultado, a preservação das florestas. 

Então as chapas de compensado são mais um exemplo de formas alternativas para a utilização da madeira.”

 

 

Compensados e marchetados:

 

 

Algumas madeiras maciças são bem raras hoje em dia , e devido a isso seus cortes estão proibidos ou sempre foram mais caras do que as outras madeiras, a confecção de muitos tipos de móveis, novos ou antigos, são feitos com compensado . Em móveis antigos ,os compensados e marchetados de madeiras raras eram frequentemente usados para formar desenhos ou efeitos especiais; madeiras exóticas eram muito apreciadas. Em móveis modernos, compensados são usados onde madeira sólida não existe ou é muito cara. Madeiras diferentes são usadas em artesanatos onde se usa a marchetaria.

Alguns compensados são cortados do toco das árvores, onde a textura é mais interessante; alguns são cortados num determinado ângulo a fim de produzir um padrão particular. Alguns padrões de texturas altamente valorizados, como a figura de olho de pássaro no bordo e os padrões de nós, são resultado de crescimento irregular. Algumas madeiras compensadas, como as madeiras com nós, não são usadas para construções sólidas porque a madeira não é forte o suficiente. Ébano, ao contrário, é usado em compensados porque é muito pesado para ser usado sozinho.

Muito cuidado ao dar acabamento em um compensado pois eles devem ter um trabalho especial e podem ser danificados facilmente.

Hoje em dia eles são a maioria dentro do mercado de trabalho, são comuns nos móveis modernos.

 Examine bem seu móvel antes de compra-lo ou antes mesmo de começar a trabalhar com ele. Ao trabalhar com o compensado verifique sua qualidade antes de compra-lo por que existem muitos de baixa qualidade e isso faz com que o serviço de barato e fácil pode se tornar trabalhoso e muito mais caro.

 

Formas de utilizar o compensado


O compensado é o melhor material para elaborar estrutura, as divisões internas e as prateleiras de armários , guarda roupas , etc..

Com um compensado mais fino pode ser utilizado para o fundo de armários e gavetas, desde que receba algum tipo de acabamento, como fórmica , verniz ou pintura. Uma boa dica é lembrar que o produto feito com cola à base de uréia-formol é mais indicado para móveis que não terão contato com lugares úmidos.

Já o compensado fabricado com cola fenólica é indicado para móveis que serão colocados em muito úmidos, como banheiros, por apresentar maior resistência à umidade. O compensado decorativo ou pré-revestido é o mais indicado para peças que exigem melhor acabamento, como portas, frentes de gavetas, estantes e móveis com bordas retas. No processo de laminação, as toras de madeira nativa são cozidas em tanques e depois cortadas em lâminas.

Passam por um processo de secagem e são submetidas a tratamento para que fiquem resistentes ao ataque de insetos, antes da prensagem. Em seguida, são coladas com os veios em direções contrárias para que uma compense a outra e dê mais estabilidade às chapas.

A grande maioria dos compensados feitos no Brasil leva madeira nativa. Sua qualidade depende das espécies usadas no processo industrial.

A espessura é variável e as chapas têm tamanhos diferenciados.

 

Informações de grande uso

 

TAMANHOS : (altura x largura)

2,20 x 1,60m
2,44 x 1,22m
2,50 x 1,60m

 

ESPESSURAS

06mm, 08mm, 10mm, 12mm, 15mm, 18mm, 20mm, 25mm.

 

Algumas formas de industrialização:

 

Lâminas de madeira selecionadas, sobrepostas em sentido alternado, uma a uma, em número ímpar, com capas no mesmo sentido. Capa e miolo de Pinus Reflorestado ou Virola, coladas entre si com resina fenólica WBP, prensadas a uma temperatura média de 135ºC e à pressão específica de 15
kg/cm².

 

Melhor forma de armazenamento:

 

As chapas devem ser empilhadas na posição horizontal sobre três pontaletes de madeira, posicionados no centro da chapa e a 10 cm de cada uma das bordas, evitando-se contato com o piso. Caso não sejam utilizadas de imediato, deverão ser armazenadas em local coberto, protegidas do sol, chuva e umidade.

 

Condições de Utilização:

1. Quanto ao procedimento de corte das chapas de compensados, recomenda-se a utilização de serra de vídia com as seguintes características:

 

RPM

Diâmetro

Espessura do Disco

Espessura do Corte

Número de Dentes

3500

350

2,5

3,8

72

3800

350

2,5

3,8

60

4200

350

2,5

4,4

54

 

OBS: A bancada da serra deverá ter a dimensão ideal para que apóie no mínimo 2/3 da chapa, nos dois sentidos; e seja fixada de maneira que não provoque trepidação, quando em funcionamento.

Quando da preparação dos painéis, recomenda-se após os cortes das chapas a pintura dos novos topos com tinta impermeabilizante, 100% à prova d’água, à base de resina sintética (para chapas resinadas, super resinada e plastificada), e durante a confecção e montagem dos painéis, quando da utilização de pregos, os mesmos deverão ser introduzidos no sentido perpendicular às lâminas e nunca deve-se aplicar pregos nos topos das chapas.

Quanto a introdução das ferragens nas formas, recomenda-se que as mesmas não sejam jogadas ou arrastadas, e sim colocadas, apoiadas em espaçadores, sobre a superfície das chapas.

Quanto do processo de desforma, recomenda-se a utilização de cunhas e alavancas de madeira. Deve ser evitado a utilização de pés-de-cabra, assim como a queda dos painéis diretamente ao solo, uma vez que, estes fatores quando isolados ou em conjunto danificam e comprometem a garantia das chapas.

Quando da limpeza das formas, após a desforma, recomenda-se que as mesmas deverão ser lavadas com água sob pressão e, em seguida, deverão receber nova aplicação de agentes desmoldantes para facilitar a próxima operação de desforma e consequentemente proporcionar uma vida útil maior para as chapas.

 

Alguns tipos de Compensado:

 

Compensado Virola: Como é e qual a sua origem?

 

Originário da região norte, o Compensado de Virola apresenta superfície lisa, livre de nós e imperfeições. Com excelente custo benefício, é ideal para a fabricação de móveis.


TAMANHOS: (altura x largura)

2,20 x 1,10m
2,20 x 1,60m
2,44 x 1,22m
2,50 x 1,60m

ESPESSURAS

04mm, 06mm,
08mm, 10mm, 12mm, 15mm
.


SAIBA MAIS

Lâminas de madeira selecionadas, sobrepostas em sentido alternado, uma a uma, em número ímpar com capas no mesmo sentido. Capa e miolo de Virola podendo ser em cola branca (MR) ou fenólica (WBP), prensadas à uma temperatura média de 135ºC e à pressão específica de 15 kg/cm². Diferencia-se do Compensado Resinado de Pinus apenas no aspecto externo.

 

Compensado Resinado : O WBP

 

As chapas de Compensado Resinado Fenólico são recomendadas para o uso externo na produção de fôrmas de concreto não aparente.

UTILIZAÇÕES

 

Fôrmas de concreto para lajes, vigas, pilares e fundações;
Tapumes, barracões de obras e bandejas de proteção.

 

TAMANHOS: (altura x largura)

2,20 x 1,10m
2,44 x 1,22m

 

ESPESSURAS

06mm, 08mm, 10mm, 12mm,
14mm, 15mm, 17mm, 18mm, 20mm, 21mm.

 

SAIBA MAIS

Podendo ser produzido com capa de lâminas de Pinus ou Virola, sendo essa última com maior resistência e com menores imperfeições nas superfícies. A fabricação consiste em sobrepor as lâminas em sentido alternado, uma a uma, em número ímpar, com capas no mesmo sentido. Coladas entre si com resina fenólica WBP, 100% à prova d’água. LD 380 g/m² com teor mínimo de sólidos em 35 pontos percentuais, prensadas à uma temperatura média de 135ºC e à pressão específica de 15 kg/cm². Tanto as capas, como os topos são revestidos com resina fenólica. As chapas de Compensado Resinado possuem ótimo desempenho e durabilidade, gerando reaproveitado de até 06 (seis) reutilizações, desde que observadas as condições de manuseio e utilização, indicadas pelas Normas da ABNT.

 

Compensados Navais

 

Utilizado para a fabricação de assoalhos e revestimento para veículos de transporte – rodoviário e aquático, contêineres, entre outros.

TAMANHOS: (altura x largura)

2,20 x 1,60m
2,44 x 1,22m
2,50 x 1,60m

ESPESSURAS

06mm, 08mm, 10mm,
12mm, 15mm, 18mm, 20mm, 25mm.


SAIBA MAIS

 

Lâminas de madeira selecionadas, sobrepostas em sentido alternado, uma a uma, em número ímpar, com capas no mesmo sentido. Capa e miolo de Pinus Reflorestado ou Virola, coladas entre si com resina fenólica WBP, prensadas a uma temperatura média de 135ºC e à pressão específica de 15 kg/cm².

 

Breve história do Compensado

 

A história do compensado é antiga e a histórico de que ele vem do Antigo Egito  onde era muito utilizado na  produção de  sarcófagos com tiras de madeira .

Seu nome é conhecido ao trabalho de equilíbrio que as lascas realizam.

Com base nos conhecimentos históricos ,é possível dizer que a primeira lamina foi produzida por volta de 3000 a.C.

Eram fabricadas em pequenas peças retiradas de raras madeiras ,que eram utilizadas para confecções de moveis luxuosos destinados aos faraós.

 

Faraó Tutankamon

 

Existem descobertas arqueólogas que revelam a existência de verdadeiras obras de arte em madeira encontradas na Tumba do Faraó Tutankamon, feitos de cedro revestidos com fitas de marfim e ébano , uma cama feita em laburno ( são pequenos arbustos e árvores venenosos da família das Leguminosas ,com folhas trifoliadas e de flores amarelas, que  são relacionados como o Citiso ) que aparenta ter algumas características do painel de compensado em sua cabeceira.

Imagem Folheados

Ganhar Dinheiro

Os estudos dessas peças ,relacionadas as técnicas de produção das laminas e aos tipos de adesivos empregados ,ainda provocam certas duvidas, porem ,acredita-se que as laminas eram obtidas a partir de serras manuais e o alisamento da superfície destas através do material abrasivo, quanto aos adesivos empregados foi aceita a hipótese de que fossem a base de albumina.

 

Aglomerado , o que é?

 

 

O aglomerado é uma chapa prensada, formada pela concentração de serragem, geralmente de pinus ou eucaliptos, unidas por resina sintética. Não empena e não propaga fogo.

 

Definição:

Chapa de madeira com miolo composto de pó de serragem, resina e cola, que após passar por processo de prensa se transforma em painel de madeira.

Não possui acabamento, portanto, pode receber qualquer tipo de revestimento. Utilizado na fabricação de móveis de encaixe e montados com dispositivo de montagem, cavilhas e cola.

 Não é recomendado o uso de pregos e parafusos não específicos, devido ao risco de ocorrerem rachaduras.

 

Dimensões:

 

Tamanho-padrão de 2,75 m x 1,83 m e espessuras que variam de 0,6 mm a 30 mm .

 

Aglomerado Folheado:

 

É o mesmo acima, porém, esse possui acabamento revestido com laminas de diversos tipos de madeira, como Mogno, Cerejeira, Sucupira, Imbuia, Pau Marfim, entre outros.

 

A história internacinal do Mdf, o material da nova era.

 

 

MDF significa Medium-density fiberboard , ele é um material derivado da madeira e é internacionalmente conhecido por sua sigla, MDF.

Em português o significado correto é placa de fibra de Madeira de Média Densidade.

O MDF é fabricado através da aglutinação de fibras de madeira com resinas sintéticas e outros componentes. Sua produção começa da seguinte maneira: as placas de madeira são coladas umas as outras com resina e fixadas através de pressão.

Produto conhecido recente, sua fabricação começou pela primeira vez no início dos anos 60 nos Estados Unidos. Em meados da década de 70, chegou à Europa, quando passou a ser produzido na antiga República Democrática Alemã e, posteriormente (1977), foi introduzido na Europa Ocidental através da Espanha. No Brasil, a primeira indústria iniciou sua produção no segundo semestre de 1994.

O MDF possui consistência e algumas características mecânicas que se aproximam às da cortiça.

Algumas de suas características são superiores às do aglomerado, igualando ambos por possuir boa estabilidade e grande capacidade de absorção de tinta.

A homogeneidade proporcionada pela distribuição uniforme das fibras possibilita ao MDF acabamentos facilitados do tipo envernizado.

É um material com várias aplicações, facilidade de manuseio e substitui com vantagens a própria madeira em muitas delas.

Existem algumas preocupações quanto ao uso de formaldeído nas resinas empregadas nas confecções do MDF e os riscos de saúde envolvidos. Potencialmente podem causar câncer.

Ao manusear, é necessário ter em mente medidas preventivas como o uso de EPI.

As chapas de MDF são fabricadas com diferentes características, que variam em função de sua utilização final.

Como exemplo citarei  além das chapas normais, as chapas resistentes ao fogo e as chapas resistentes a água. Existem também chapas fabricadas com maior quantidade de plástico, o que lhes permite aplicações que requeiram maior resistência à flexão ou a choques.

As espessuras dessas chapas variam de 3 mm até 60 mm, sendo as chapas mais grossas são utilizadas em elementos estruturais , artesanais ou decorativos de arquitetura e móveis .

O MDF é oferecido ao mercado basicamente com três acabamentos: chapas cruas, chapas com revestimento laminado de baixa pressão e chapas com revestimento finish foil:

 

  • As chapas cruas são fornecidas ao usuário principiante de forma que possa ser realizado o acabamento das peças através de pintura, revestimento com PVC ou estamparia;
  • As chapas com revestimento com laminado de baixa pressão são produzidas através da pressão de um laminado (Papel Melaminico disponível nos padrões madeirados e unicolores) sobre o MDF, que é fundida através de pressão e temperatura ao painel de MDF, resultando em uma chapa já pré-acabada.
  • Pode-se revestir ambas as faces ou apenas uma, permitindo ao usuário usinar a face não revestida e acabá-la através de pintura acolchoamento;
  • As chapas com revestimento finish foil são produzidas por adição de uma película de papel de fotografia, resultando em um produto já acabado. Essa película pode ser impressa com padrões madeirados ou em cores. Algumas chapas contêm partículas de sal.

 

 Onde utilizar e formas de coloca-lo:

 

 O MDF destina-se, principalmente, à indústria moveleira e artesãos. O uso do MDF é frequente como componente de móveis para partes que requerem montagem. Seu melhor uso é destinado a componentes frontais, internos e laterais de móveis, fundos de gaveta e tampos de mesa, e ainda caixas de som.

Na construção civil, são fabricados para o uso de pisos finos, rodapés, almofadas de portas, divisórias, portas usinadas, batentes, balaústres e peças torneadas.

Existem fabricações de bumerangues com MDF, porem foi substituída por outros materiais que possuem maior resistência mecânica e densidade mais apropriada para a pratica do voo. Mesmo assim, algumas pessoas preferem ainda o utiliza-los para o manuseio amador, pois é de fácil usinagem.

A matéria- prima principal utilizada pelas fábricas de MDF é o pinus. No Brasil, a madeira de pinus é obtida a partir de plantios florestais de larga escala.

 

DICA:

 

 “MDF (Medium Density Fiberboard ou Fibra de Média Densidade) é o ideal para o crescimento de indústria de móveis, decoração, construção, indústria gráfica, automotiva, caixas de som, publicidade, stands, maquetes, etc.”

 

Suas características:

 

Sendo conhecido mundialmente e ecologicamente aceito e correto, o MDF é um painel de fibras de madeira sendo sua composição uniforme em toda a sua superfície como em seu interior.
Graças a sua resistência, estabilidade, é possível obter-se facilidade para dar excelentes acabamentos em móveis, artesanatos, molduras, rodapés, colunas, balaústres, divisórias, forros.

 

Flexão Estática:


É a resistência que um corpo, apoiado em suas extremidades, oferece quando sujeito a uma força de tração aplicada em seu centro, até a ruptura.

 

Tração Perpendicular:

É a resistência que um corpo oferece quando submetido a forças de tração de sentido contrário, aplicadas perpendicularmente à sua superfície.

 

Tração na superfície:

 

 É a resistência que um corpo oferece quando submetido a uma força de tração aplicada perpendicularmente ao plano da face, para promover o arranque de uma determinada área da camada superficial.

 

 Arranque dos Parafusos:

 

 Tem a resistência que um corpo oferece ao arrancamento de um parafuso, colocado na superfície ou topo, quando submetido a uma força de tração.

 

Verdades e Mentiras a respeito do MDF e Aglomerados:

 

Saiba aqui algumas ideias equivocadas sobre chapas de Aglomerados e MDF, que podem gerar problemas para fabricantes, revendedores, marceneiros e consumidores.

 

1º: MDF é resistente à água?

 

Este é uma das maiores lendas sobre o MDF.
O MDF possui certa resistência à água, mas ele não é imune à sua ação.
É preciso compreender que existe uma grande diferença entre uma chapa que é molhada uma vez, mesmo que por um período duradouro, e outra que sofra grandes series de molhamentos constantes ao decorrer do tempo.
A explicação que existe sobre a atuação da água na chapa é que as fibras da madeira, ao absorver umidade, irão inchar.
Isso acontece com qualquer tipo de chapa – seja ela MDF, aglomerado ou compensado nenhuma delas se ausentam a está debilitação.
A umidade também favorece o aparecimento de fungos, o que contribui para a degradação do painel.
Os móveis que estão sujeitos a molhamentos eventuais, como é o caso de móveis de cozinha e banheiro, devem ser revestidos adequadamente todas as faces e bordas dos componentes do móvel.
Com esta proteção, executada da forma correta, a água não irá penetrar na peça, e ela passa a durar por muitos anos.
O revestimento, tanto das faces quanto das bordas, pode ser feito de diversas maneiras, desde que realizado de forma adequada e com cuidado, porem aconselho as famosas fitas de Borda que dão acabamento iguais as da formica e com mais facilidade e rapidez.

 

2º: Chapas são imunes a cupins?

 

Este é outro pensamento equivocado. A de que os painéis de madeira reconstituída são resistentes ao ataque de cupins.
Saibam que não é dado nenhum tratamento ao MDF, à madeiras aglomeradas ou à chapas de fibras para proteção contra cupins.
Acontece que estes painéis são prensados em alta temperatura, cerca de 200ºC, o que extermina todos os insetos existentes no processo produtivo, inclusive o cupim.
Isto é a forma de garantia que as chapas chegaram nas revendedoras livres de cupins, mas não assegura que não possa acontecer uma contaminação a partir daí.
Mas como normalmente as chapas ficam pouco tempo armazenadas em revendas e marcenarias, é difícil ocorrer o ataque de cupins nestes locais.

Aprendendo isso, é recomendável uma dedetização local para evitar que o móvel seja infestado.

 

3º: MDF é mais resistente que aglomerado?

 

Muitas pessoas afirmam que o MDF é mais resistente que outros tipos de Laminados de madeiras e que, quanto maior for sua espessura, maior será a sua resistência.
Talvez esta dedução errado tenha surgido devido ao fato do MDF ser mais compactado que o aglomerado.
Uma das afirmações já ditas neste sentido é que o MDF “segura” mais os parafusos, o que não é verdade.
A resistência de uma peça depende, além do material usado, de outros fatores importantes como: projeto do móvel; execução e ferragens utilizadas.
Os projetos e a execução dos móveis são muito mais importantes na definição de sua resistência que o próprio painel utilizado.

O MDF veio para facilitar em alguns casos não assegurando que é o melhor produto do mercado de trabalho porem é um dos mais fáceis de trabalhar ao meu ver.

 

Laminados decorativos (famosas chapas de fórmicas)

 

Os Laminados decorativos são essenciais a confecção de móveis.
Sem eles seria difícil conseguir dar aos móveis uma aparência agradável sem o uso de madeira maciça em todas as peças.
Existem vários tipos de laminas decorativas (como: Laminado MelamínicoLâminas de madeira), entre elas, se destacam o Laminado melamínico (fórmica) e as lâminas de madeira
.

 

Procedimentos para um bom trabalho com as formicas

 

LAMINADO MELAMÍNICO (FÓRMICA)

 

 

Verifique se você tem as ferramentas necessárias para trabalhar:

 

Utilize um Riscador com ponta de vídea, ou feito com uma lâmina de aço com cerca de 1.5mm a 2mm de espessura bem afiado
Lima murça.

Plaina manual
Tupia manual (opcional).
Réguas compridas, de aço ou alumínio (Você também pode fazer uma usando duas tiras de duraplac coladas com cola-contato uma á outra, para dar maior rigidez).
Lápis
Martelo de borracha

 

 Lembre-se:

 

Antes de cortar o material lembre-se de conferir o projeto do móvel e de conferir o desenho contendo o cálculo.
Para obter um corte perfeito será necessário colocar a chapa sobre uma superfície plana (uma bancada por exemplo).
Corte a fórmica sempre com 1 a 2 cm a mais para cada lado da peça a ser revestida.
Marque o corte com um lápis.
Apoie uma régua sobre a chapa posicionando-a na marca do lápis e segure-a firme para que não deslize (caso a régua seja de aço, cole um esparadrapo na parte de baixo dela para aumentar a fricção).
Use um riscador para cortar, colocando-o rente a régua (Não é necessário cortar totalmente , basta riscar fundo e depois dobrar a chapa para que ela se parta).
Aplique a cola contato na parte de trás da fórmica e na superfície da peça a ser revestida.
Isso dependera de que marca de cola você trabalhara porem aguarde até que a cola seque totalmente (faça um teste tocando de leve com a parte de trás da sua mão).
Dê uma segunda demão de cola em ambas as partes e aguarde por mais vinte minutos.
Com muito cuidado, junte as partes colocando a fórmica sobre o material a ser revestido (caso a superfície a ser revestida seja muito grande, coloque vários sarrafos de madeira, finos e limpos, sobre a superfície e coloque a fórmica por cima evitando o contato direto, depois, vá tirando sarrafo por sarrafo, começando por uma das pontas até que toda a fórmica esteja completamente encostada à superfície).
Com o martelo de borracha, aperte a fórmica contra a superfície começando do meio para as bordas até que fique bem aderida (é aconselhável embrulhar o martelo de borracha com um pano de algodão para não sujar a fórmica).
Remova as rebarbas (sobras, arestas) da fórmica, usando a Plaina manual e quando você perceber que a formica esta quase acabada utilize a lima murça, removendo primeiro as pontas dos cantos (quinas), e depois o resto. Passe uma lixa fina em ultimo lugar para dar o acabamento final isso deixara o local do acabamento bem lizo e uniforme.

 

 IMPORTANTE:

 

Sempre verificar se suas ferramentas de acabamento estão em boas condições, antes de começar a trabalhar de uma boa amolada em seu riscador para você não ficar se esforçando em cortar a formica podendo até quebra-la ,de uma boa afiada em sua Plaina manual podendo usar um esmeril para afia-la utilize uma pedra fina e cuidado para não deixar o ferro da Plaina fora de esquadro, faça um teste sempre em um pedaço qualquer de fórmica ,não deixe muito ferro preste atenção no barulho da passada da plaina, ele se assemelha a um assovio do na mesma tonalidade do começo ao final da peça.

 

Laminados de madeiras , mais conhecidas como folhas de madeiras

 

 

Verifique se você tem as ferramentas necessárias para trabalhar.

Faca, cortador de lâminas de madeira ou estilete.
lixa
Espátula de aço dentada
(consiga uma espátula simples e faça os dentes com arco e serra.
Réguas compridas de aço ou alumínio.
Lápis
Apertador (alisador, esfregador etc.)
: peça de madeira retangular com as bordas arredondadas com cerca de 20x7x2 cm.

 

Modo de trabalho:

 

Para facilitar o trabalho passe cola contato na lâmina de madeira antes de cortá-la.
Passe cola contato na superfície a ser revestida.
Aguarde a secagem por cerca de 20 minutos (dependendo da temperatura ambiente).

O recomendável é que de duas demãos duas na peça e duas na lamina por que as duas chupam muito a cola um exemplo o compensado.
Corte a lâmina de madeira com o estilete ou faca.
Una as partes aplicando a lâmina sobre a superfície a ser revestida.
Pressione a lâmina de madeira usando o apertador (alisador).

Ao esfregar a lamina certifique-se que esta passando uniformemente e com boa pressão, pois se não, poderá aparecer bolhas na superfície.
Remova as rebarbas (sobras, arestas) com uma lixa tomando cuidado para não arredondar as pontas, retire as bordas excessivas com um estilete ou uma faca.
Lixe as extremidades com um toquinho de madeira envolto com uma lixa 100 ou 120.
Agora basta lixar toda a superfície das partes revestidas e dar o acabamento final (Ex: goma laca, seladora, cera, verniz e etc..).

Bom, esse é mais um artigo de um vasto assunto relacionado a grande profissão que se chama Marcenaria espero ter esclarecido suas duvidas a respeito dos laminados em geral e acrescentado boas curiosidades para futuras pesquisas.

Marcenaria é dignidade e tem fundamento, seja um marceneiro com boas técnicas e vastos conhecimentos teóricos mostrando a todos que marcenaria escolhe seus discípulos e não é qualquer um que escolhe a Marcenaria.

 

Um grande abraço a todos

 

Julio Cesar S. Vasques

 

 

 

29 Flares Twitter 2 Facebook 22 Google+ 5 Pin It Share 0 LinkedIn 0 Email -- 29 Flares ×

Você sabia que o autor deste artigo ganha dinheiro até hoje por te-lo escrito?

Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

19 Comentários para "Curso gratuito de Marcenaria aprenda sobre a arte dos laminados de madeira suas histórias na antiguidade."

  1.    

    sou fanático e curioso em criar coisas com madeira tipo bancos,mesas,armários etc.. hora quem diria o compesado pra mim éra uma simples chapa de madeira muito utilizado em obras de construção civil..me enganei pois descobri n maneiras de utilizar esse material de multiplas funções.. valeu obrigado.

    Reply to this comment
    •    

      Boa noite meu amigo,obrigado pelo comentario e espero que a cada dia você consiga aprender e praticar essa arte que é a marcenaria ,qualquer duvida pode contar comigo que farei tudo para ajudar.

      Grande abraço

      Reply to this comment
  2.    

    Gostei muito do artigo, estou pretendendo fazer um armario embutido para quardar roupas usando compensado de 15mm nas estruturas principais e depois laquear, porém estou com dúvidas quanto ao tipo de encaixe das tábuas. O que voce me sugere?

    Reply to this comment
    •    

      Boa noite José Ramiro tudo bem? Desculpe a demora,bom eu sugiro que se esse encaixe das tabuas forem a respeito das estruturas principais elas sejam parafusadas,e no fundo do armário você faça um rebaixo na tupia para colocar um fundo de 6mm,é legal também trabalhar com cavilhas.Como se trata de movel imbutido é sempre bom fazer um procedimento de montagem que te facilite onde não venha danificas as peças .
      Espero que tenha te ajudado mas qualquer coisa me mande outra mensagem .

      Um Grande abraço e obrigado pelo seu comentário.

      Reply to this comment
  3.    

    Bom dia, estou fazendo uma espécie de armário de madeira onde vão ficar, livros, outra parte uma sapateira, etc. Estou usando MDF 18mm para a estrutura e prateleira dos livros, agora minhas dúvidas são as seguintes, posso usar mdf 6mm para as prateleiras da sapateira? As prateleiras devem ser feitas num tamanho um pouco menor do que o espaço? (ex.: o espaço entre uma parede e outra do armário será de 130cm, então mando fazer as prateleiras com 130cm ou faço um pouco menor para caber (129,9cm)? Grato.

    Reply to this comment
    •    

      Bom Dia Rodrigo tudo bem?

      Bom em relação a sua duvida podemos falar o seguinte:

      Essas prateleiras vão ter divisórias? Por que se por exemplo for uma chapa de 6mm não da tanta estabilidade, mesmo com sapatos que não são itens pesados mas pode curvar o mdf, porem, 130cm dividido por 5 da 26 ,fazendo 5 divisórias pode até aguentar e não curvar os mdfs. Até porque esteticamente fica muito bom ,não fica abrutalhado vamos dizer assim. Já que a estrutura você vai fazer com 18 mm e as prateleiras dos livros também pode fazer com as prateleiras dos sapatos com um mdf de espessura um pouco maior do que a de 6mm ,sugiro também uma de 10mm mas sempre verificando como você vai fixar essa prateleira por que mesmo um mdf de espessura maior pode curvar por isso é bom fazer umas divisórias pra das sustentação um ao outro.

      Agora em relação a medida das prateleiras se for fazer nessa medida mesmo de 130cm é legal dar pelo menos uma folga de 1mm como você mesmo falou pelo menos tem como trabalhar melhor.

      Rodrigo , não sei se consegui tirar sua duvida mas qualquer coisa me retorne que farei o possível para te ajudar , ok?

      Reply to this comment
  4.    

    Boa tarde,gostaria de saber se no mercado ja tem um cortador de formica igual a um estilete normal,e onde eu encontro,pois vi num site de marcenaria.OBRIGADO…

    Reply to this comment
    •    

      Boa noite Claudio tudo bem?
      Bom cortador de fórmica igual a um estilete eu vi parecido na Madereira Leo , da uma olhada no site deles talvez tenha algo que possa te ajudar mais o site é http://www.leomadeiras.com.br pelo menos lá sei que em termos de materiais tem bastante variedade e varias lojas que talvez alguma seja perto de sua casa.
      Qualquer coisa pode me contactar Claudio e obrigado por ler o artigo fico feliz mesmo.

      Cordialmente
      Julio Cesar

      Reply to this comment
  5.    

    veja eu comprei um mesa de computador muito boa de aglomerado e gosto muito dela nao queria dar fim.mais meu marido colocou um copo de agua em cima e ela inchou . gostaria de saber como faço pra tirar essa parte inchada,se eu lixar vai prestar….mim responda por favor

    Reply to this comment
    •    

      Ola Ariane tudo bem? Obrigado por ler o artigo, bom o problema é que o aglomerado é natural ele inchar mesmo quando entra em contato com a agua e a noticia ruim é que não vai dar certo você lixa-lo pois o inchasso não vai sumir,o que eu te aconselho a fazer é trocar essa peça por exemplo por um compensado ou um MDF mas lembrando que o MDf não é resistente a agua porem o compensado é mais duradouro, ok?
      Qual quer duvida pode contar comigo, mais uma vez muito obrigado.

      Cordialmente Julio Cesar

      Reply to this comment
  6.    

    Olá a todos meu amigo (s) de um
    conselho, esta manhã, que não
    desencorajam o serviço de Deus,
    não chomage.il você ainda contratar
    qualquer que seja seu caminho na
    vida!
    Muito obligao.

    Tudos

    Cordialmente dorvil roobensky.

    Reply to this comment
  7.    

    QUAL O COMPENSADO MELHOR PARA USAR EM UMA PORTA, CUJO O TAMANHO É 225X075X15mm .um compensado que não empene porem fiz 03 porta nesse tamanho e as tres empeneram . as porta foi para um guarda roupa com porta de correr . QUAL O MELHOR COMPENSADO QUE DEVO USAR QUE NÃO EMPENE.

    Reply to this comment
    •    

      Boa Tarde Eloandre tudo bem?? Muito obrigado por ler o artigo e pela pergunta. Bom a respeito da porta uma porta desse tamanho não é viavel utlizar um compensado de 15mm por que é muito fino, eu aconselho ou utilizar um de 20mm ou entáo se preferir use o MDF de 18mm ou o próprio de 20mm por que se caso ele der uma empenada tem como dar uma ajustada pois o mdf é mais facil nesse sentido.
      O fato de empenar um compensado mais grosso ou um MDF é mais dificil agora quando falamos de um material mais fino então pode dar problemas rapidos.
      Espero ter ajudado mas qualquer entre em contato pois farei o melhor para ajudar .

      Cordialmente Julio Cesar Vasques

      Reply to this comment
  8.    

    QUAL O COMPENSADO QUE DEVO USAR EM PORTA DE CORRER QUE NÃO EMPENE (PORTA DE GUARDA ROUPA) A PÓRTA TEM 225X075X15mm.

    Reply to this comment
  9.    

    boa tarde caro amigo suas dicas são de grande valia , sou professora , mas aagora pretendo mi desafiar constrindo closets para toda família e seu artigo mi ajudou .. Meu avô fora marceneiro por muiutos anos , hoje não exerce mais está velhinho , talvez esse meu olhar especial por moveis planejados esteja no sangue rsrs.. gostaria de poder contar com suas dicas sempre abraços kelly

    Reply to this comment
  10.    

    Olá boa tarde Julio Cezar.
    Parabéns pelo artigo, continue assim, os apredizes agradecem.

    Estou começando na Marcenaria agora. Moro em Belo Horizonte,na verdade minha cidade é um roção mesmo…. brincadeira… mas imagina você, aqui o único curso de marcenaria existente é o do Senai e fica na cidade de Contagem e é a noite, não tem mais nenhum, já procurei de cabo a rabo e não encontrei outro.
    Gostaria de uma sugestão sua, existem muitos comentários sobre a marca da melhor tupia manual, cada um fala uma coisa. Na sua opinião, qual a melhor tupia manual e que possa me atender plenamente.

    Luiz Alberto

    Reply to this comment
  11.    

    Sou serralheiro , trabalho com aluminio.
    venho pesquizando marcinaria .
    já trabalhei como carpinteiro .gostaria de fabricar moveis. tenho mais 65 anos ,tenho saúde

    Reply to this comment
  12.    

    Olá gostaria de tirar uma dúvida estou querendo fazer um guarda roupas de 2,50 A x 0,80 larg x 0, 55 profundidade, mas não sei como cortar as portas o desconto,alguém poderia me ajudar,
    usarei na laterais e prateleiras MDF de 15 e portas de 18, obrigado desde já. David.

    Reply to this comment

Deixe um Comentário


+ 4 = dez

Imagem Folheados

Ganhar Dinheiro

Comente nas Redes Sociais

Baixe o Ebook 'Como Montar o seu Negócio Online
Gerando Novas Fontes de Renda'


Assine Nossa Newsletter

Email:


29 Flares Twitter 2 Facebook 22 Google+ 5 Pin It Share 0 LinkedIn 0 Email -- 29 Flares ×