Como funcionam as relações entre governo e empresas

Ganhe Bitcoins
Todos os Dias

Clique AQUI e Comece Agora!

O Estado, o governo e empresas são 3 elementos presentes e essenciais dentro da sociedade moderna. Isso porque a sua relação transcende todos os aspectos temporais e se encontra com termos especificados que irão direcionar todo o objeto dessa relação.

A sociedade, quanto uma instituição que permeia as relações existentes entre essa tríplice, é um meio presente dentro da dinâmica que envolve toda a complexa relação dos interesses de todos os grupos sociais existentes.

Dessa forma, diante de todas as denúncias e escândalos de corrupção que estão envolvidos o nosso governo e as empresas de cunho privado, a impressão é que a nossa sociedade tem dessa relação entre poderes e setores como algo sempre permeado por ilicitudes.

Porém as decisões governamentais constituem um fator importante que impacta toda a competitividade das empresas, sendo que ela relação precisa sempre ser feita por um profissional extremamente qualificado e de forma ética, gerando assim um ambiente favorável, e consequentemente o crescimento econômico.

As relações entre o governo e empresas

Pensando no que tange as empresas, a interface com o governo é imprescindível para que haja a sobrevivência do mercado, afinal de conta, esse ambiente de negócios favorável pode gerar crescimento econômico, o que por sua vez, consegue criar desenvolvimento.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Acompanhando todas as ações governamentais, é possível identificar ao mercado de forma antecipada todos os riscos e também oportunidades, e cientes disso, são várias as empresas que têm alinhado as suas estratégias de relações governamentais com as de negócio.

Dessa forma, todos os riscos diminuem e as vantagens competitivas aumentam. Assim a abertura de um canal direto de comunicação entre governo e empresas possibilita que haja a avaliação efetiva das demandas e propostas dentro dos processos decisórios.

Isso pode legitimar toda a defesa da democracia enquanto existem ferramentas de tomadas de decisão. De uma outra forma, esse binômio dado pelo governo-empresa pode suscitar um jogo democrático mais equilibrado, transparente e aberto.

A ética por trás dessa relação

Realizar um diálogo que seja transparente, sem nenhum tipo de interesse pessoal é um dos principais desafios aqui. Isso porque uma das principais formas de tornar essa relação mais séria, é que as empresas ofereçam mão de obra capacitada com habilidades tanto pessoais quanto humanas.

A capacidade de planejamento, direção, organização e controle é algo que precisa ser ressaltado nesse meio, para que possam ser formuladas estratégias e táticas eficazes na defesa dos interesses.

Com isso também é possível construir uma visão muito mais sistêmica sobre o funcionamento de todos os processos decisórios dentro da estatal. Nesse meio, o uso de softwares variados pode ajudar, como é o caso do eprocurament.

Exatamente porque hoje em dia, muitos dos processos de gestão sem feitos exclusivamente via internet, e as compras e vendas de produtos e fornecedores precisa ser levado a sério, tanto pelo governo quanto pelas empresas.

Pontos importantes

Uma outra visão extremamente importante desse relacionamento impessoal entre os agentes privados e públicos é feita por meio das regras que garantem toda a isonomia do acesso as tomadas de decisões.

Diante de todos os mais recentes escândalos do nosso país dentro da corrupção noticiada pela mídia 24 horas por dia, seja de forma parcial ou imparcial, ou até mesmo golpista, é impossível negar que todas essas possibilidades existam.

No entanto, o mais adequado nesse meio é não generalizar esse fenômeno, já que nem todas as relações entre os agentes privados e públicos são pautadas e construídas por meio da ilicitude.

Para que todo esse quadro, vergonhoso e sofrido, possa ser alterado é preciso trazer o máximo de transparência possível ao processo decisório estatal.

Os membros do poder público têm o dever de defender todos os valores da democracia dentro da igualdade política, isso porque eles foram eleitos, nomeados ou até mesmo entraram por meio de um concurso público.

Sendo assim, cabe somente ao governo e empresas ser o mais transparente possível em todas as suas interações e relações, criando um ambiente formado na ética dos processos.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Enter Captcha Here : *

Reload Image

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>