Como funciona uma ponte rolante?

Trade de Bitcoin?

Simples! Comece Agora!

Acesse SimpleFX

Você já ouviu falar ou sabe o que é de fato uma ponte rolante? Pois saiba que esse é um equipamento bastante usado para realizar o içamento, ou seja, permite que se faça a elevação de determinadas cargas.

A ponte rolante, é basicamente composta por vigas, carro e também talha – podendo ser fixas ou móveis.

Seu principal objetivo é realizar a manipulação de objetos que possam ser caracterizados como essencialmente grandes ou peso elevado, que, de forma geral, não podem ser carregados manualmente.

Nas indústrias pertencentes à área siderúrgica, é possível identificar diversas pontes rolantes, que permitem contribuir de forma efetiva com o processo de fabricação de determinados materiais, como o aço, por exemplo.

Tal equipamento também é bastante recorrente em praticamente todos os portos do mundo, permitindo que sejam extraídos determinados objetos de dentro dos navios para fora, ou para fazer a movimentação em região retroportuária.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Semelhantes aos guindastes, esses equipamentos são simplesmente enormes e, por isso, podem apresentar um elevado custo para serem adquiridos – porém, o custo-benefício envolvido pode ser essencialmente vantajoso, o que faz com que algumas empresas da área acabem investimento na sua compra para potencializar suas habilidades perante o mercado competitivo.

Ponte rolante – como é construída?

A construção de uma ponte rolante precisa contar com uma viga, que deve ser fixada de forma permanente sobre uma estrutura para seu suporte (e, assim, garantir que o equipamento tenha maior estabilidade para realizar a manobra de içamento de determinados objetos grandes e pesados).

Em geral, pode-se fazer tal processo por meio da construção de uma grua, que deverá ser mantida em uma estrutura, ou por meio da construção de uma plataforma que mantenha tal viga.

Há alguns fabricantes de móveis que contam com o recurso desse tipo de equipamento – isso porque ele permite uma grande e substancial flexibilidade, tanto na montagem como também na expedição dos produtos que serão manipulados.

Por meio desse equipamento, todo o mecanismo de operação deve ser montado em um carro, que permite sua locomoção em eixo transversal. Nesse caso, as pontes podem ter carros de caráter principal e auxiliares, e a escolha depende exclusivamente do tipo de operação que precisará ser efetivamente realizada por parte do operador.

Segundo as aplicações provenientes dessa operação, o içamento pode ser feito por meio do uso de cabos de aço, correntes ou até mesmo cordas, com o apoio de um carro – os objetos em questão poderão ser sempre movimentados de forma horizontal, sempre tendo como premissa o eixo da própria ponte.

De maneira diferenciada de outros guindastes, que possuam sua lança flexível, por meio do seu balanço, a ponte rolante somente permite movimentos de translação, bem como o momento de seu carro, sempre levando em consideração o eixo transversal.

Em suma, tais movimentos são indicados para que se realize quase todo tipo de tarefa eferente ao içamento de cargas.

Para ficar mais claro, basta evidenciar que em um navio que seja porta-contêineres, por exemplo, a embarcação poderá ficar parada de forma aproximada do guindaste (em alguns casos, o equipamento pode até mesmo ser parte integrante do próprio navio) e então o operador tem a flexibilidade de realizar movimentos do mecanismo no decorrer de toda a porta (superior) do portão para poder efetuar o içamento.

Logicamente, a ponte, quando fixada, permite uma estabilidade superior, podendo agregar maior capacidade para realizar o transporte de cargas com peso muito mais elevado.

Diferentes tamanhos

Por ser um conceito de projeto, o equipamento possui como referencia versões criadas em 1870 – até então eram desenvolvidas diversas versões que possuíam uma ampla variedade de aplicações.

Vale salientar que alguns estilos menores para pontes podem também ser identificados no mercado, principalmente em se tratando de empresas de porte menor, mas que suas operações necessitem do uso de um guindaste, por agregar maiores facilidades e utilidades no dia a dia.

Um exemplo disso é um marceneiro, que pode contar com o uso de uma ponte rolante para realizar o transporte de madeiras, bem como projetos finalizados ou até mesmo ferramentas que possuam um peso mais elevado – e que precisem ser levados entre o ambiente da oficina e a área de carga.

Como ficou evidente, diversos tipos de locais e áreas de atuação podem fazer uso de uma ponte rolante, desde que sejam considerados todos os cuidados necessários para sua operação, bem como as normas que precisam ser seguidas para a pratica de içamento.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
30 × 18 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>