Como ensinar seu filho a gostar de ler

Muitos pais se questionam frequentemente se há algum método para convencer o filho a ler. Acham complicado, um bicho-de-sete-cabeças. Acredite se quiser, mas poucas coisas podem fascinar tanto uma criança quanto um bom livro. E nada melhor para convencê-las disso que observar um adulto lendo, pois os adultos são sua principal referência.

Até hoje me lembro do primeiro livro que li. Intitulava-se Caminho Longo e contava a história de um pistoleiro americano que escoltava uma garota e seu irmão pelas pradarias cheias de perigo dos Estados Unidos, em busca de um lugar melhor para viverem. No meio do caminho eles se apaixonavam e terminavam juntos, depois que ele matava quase metade dos personagens do livro. Uma coisa meio imprópria para uma garotinha de oito anos, mas meu pai ficava tão absorto na leitura, que roubei um dos seus livros para ler às escondidas.

Passados vinte anos, não tenho noção de quantos livros já li, mas são umas boas centenas. De tanto me ver lendo, minha irmãzinha já vem pelo mesmo caminho. Conversamos frequentemente sobre isso e procuro dar boas sugestões de literatura para ela, que só tem nove anos. E o que recomendo a ela? Os livros que me faziam perder o fôlego nessa época: a Coleção Vagalume. Nunca ouviu falar? Saiba que foi a melhor série infanto- juvenil já publicada no Brasil. Dê ao seu filho qualquer um desses livros de presente e duvido que ele não vire um leitor de carteirinha. E são algumas dezenas de títulos de gêneros variados: terror, aventura, ficção científica, mistério. Só para citar alguns para você começar a procurar: O caso da borboleta atíria, O gigante de botas, Um cadáver ouve rádio, O mistério dos morros dourados, O rapto do garoto de ouro, O feijão e o sonho, Açúcar amargo, A serra dos dois meninos, Cem noites tapuias… Amava essa série e relembrando agora, bateu uma saudade enorme.

Depois, um pouquinho mais velha, me apaixonei por Pedro Bandeira, autor de Os Karas, um grupinho de cinco adolescentes que se envolviam em aventuras incríveis. A droga da obediência, Pântano de sangue e O anjo da morte são alguns dos livros da série. Basicamente é literatura infanto-juvenil, mas pode ser lido por qualquer adulto também, que vale a pena.

Já experimentou levar seu filho a uma sebus? Aquelas lojinhas que vendem livros usados, bons e baratos? Minha sobrinha, outra pequena leitora, costuma economizar seus trocadinhos para comprar revistinhas usadas da Turma da Mônica Jovem. É assim que começa e ajuda demais nos estudos. Toda leitura é útil, não importa o gênero.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Acho que mostrar às crianças o quanto é prazeroso ler é um ato de amor. Indicar bons livros, ler com elas, leva-las à biblioteca, tudo isso ajuda a formar um adulto mais seguro, inteligente, culto. Mais equilibrado e seguramente mais feliz.

 

 

 

Talvez você goste disso também:

Sobre: silvana vieira

Livros pra mim são como álcool para alcoólatras: sem eles tenho síndrome de abstinência e é sempre preciso evitar a primeira página, pois depois vem as cem primeiras, as duzentas primeiras e só paro quando a cabeça começa a doer...escrever é consequência, é tentar colocar ordem no caos, é jogar pra fora a confusão e encontrar a serenidade que só as palavras podem me dar.

2 Comentários para: “Como ensinar seu filho a gostar de ler

  1. Também sempre fui um devorador de livros. Comecei lendo revistas em quadrinhos (quem se lembra delas?), depois passei aos livros.

    Hoje tenho uma estante cheia de livros. Como moro de aluguel, quando tenho que mudar de casa, a parte mais difícil é transportar os livros… pesa muito.

    Mas, livro é cultura. Desenvolve o raciocínio, aprende a escrever, acentuação de palavras… enfim, ler é tudo de bom.

    Belo artigo.

    Abraços

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
21 − 8 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>