Como a linguagem corporal interfere no nosso cotidiano

Entender o que outra pessoa está nos falando pode ser fácil, basta conhecer o idioma que está sendo usado na conversação e pronto. Porém as palavras falam menos do que os gestos. 55% do que transmitimos quando estamos nos comunicando com alguém deriva dos sinais que fazemos.

A linguagem corporal nada mais é do que as mensagens que passamos (às vezes involuntariamente) para outras pessoas através de expressões faciais, movimentos dos olhos, gestos, postura e do quão próximos ficamos das pessoas que nos ouvem. Tudo isso pode vir junto com a linguagem verbal que corresponde a 7% da mensagem na comunicação e o nosso tom de voz, velocidade da fala, ritmo usado e até mesmo o volume que produzimos nossa voz representam os 38% restantes.

Não saber os significados dos gestos que se produz pode ser perigoso. Imagine-se em uma entrevista de emprego, você está sendo avaliado a todo o momento. Muitas pessoas ensaiam as perguntas antes de irem, mas esquecem de aprender sobre os gestos. Quando conversão com o avaliador não costumam responde olhando em seus olhos, isso passa insegurança para quem avalia. Então se você soubesse que mexer muito os membros do corpo transmite um sinal de nervosismo, certamente iria evitar, ou se você soubesse que cruzar os braços e/ou pernas revela descontentamento tenho certeza que não os cruzariam, ou se soubesse que sentar-se na beira da cadeira mostra desconforto e vontade de ir embora o quanto antes sei que você não faria isso. Muitas vezes os candidatos não sabem o real motivo de terem sido reprovados no teste e esse motivo pode estar atrelado aos gestos feitos na entrevista.

Mas para quem conhece e domina a linguagem corporal os benefícios podem ser extremamente grandes. Se você soubesse que ficar com os braços e pernas um pouco abertos vai demostrar autoconfiança, e que ficar ereto é o melhor caminho para demostrar segurança e impor respeito certamente iria utilizar esses recursos ao seu favor. Para assumir um cargo de chefia em uma empresa espera-se do funcionário uma postura de líder e se você estiver interessado em fazer isso não permaneça com as mãos nos bolsos, isso passa insegurança, ao invés disso coloque apenas os polegares, pois assim você vai transmitir virilidade, o que é imprescindível em um chefe. Outra técnica que você pode utilizar é entrelaçar as mão por trás do corpo para exibir suas partes vulneráveis (estômago, coração, pescoço etc.) e passar a sensação de superioridade e poder.

Nossa vida amorosa também é altamente influenciada pelos gestos. Na música Ela Só Quer Paz cantada por Projota tem um verso que explica perfeitamente o que se quer falar nessa sessão: “Ela nunca vai deixar claro, então entenda sinais”. As mulheres têm várias formas de dizer que estão interessadas nas paqueras, elas podem, por exemplo, rodear as bordas da taça de vinho ou simplesmente deixar a orelha livre na direção do pretendente. Nos casos dos casais que já passaram dessa fase e começaram a se relacionar amorosamente existe um sinal que indica quem manda na relação: em uma caminhada quem estiver com a palma da mão virada para trás é o dominante do relacionamento. Quando se pretende iniciar uma conversa com uma mulher, demostrar autocontrole, ser dominante e sorridente fará toda a diferença no resultado final do diálogo.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

As posturas que assumimos também são capazes de mudar nosso estado emocional. Permanecer em posturas contrativas (posturas reprimidas) faz nossa capacidade de liderança e autoestima serem afetadas negativamente. Porém, em contrapartida, permanecer em posturas expansivas por um período curto de dois minutos é o suficiente para aumentar nossa capacidade de liderança e controle do estresse.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
5 + 24 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>