As principais restrições de um jogador de casino profissional

Um jogador de casino profissional está condicionado por várias restrições que lhe impõem limites e regras de conduta. De ordem prática, ou de ordem moral, estes limites definem em muito o género de jogador e a personalidade por trás da pessoa que joga. Vamos conhecer as principais restrições a que está sujeito um jogador de casino.

O saldo de apostas

O saldo financeiro que cada jogador dispõe para efetuar as suas apostas dentro do casino é uma das principais restrições existentes no universo dos jogadores. Preestabelecer um limite máximo para o dinheiro que pretende gastar no jogo e não ultrapassar esse limite sob pretexto algum é uma condicionante a que os jogadores se devem submeter para o bem das suas finanças.

Há mais vida para lá do casino

Os jogadores profissionais passam por norma muito do seu tempo livre nos casinos com prejuízo das relações profissionais, pessoais e familiares. Tanto a família como os amigos são muitas vezes preteridos em favor do casino e alguns jogadores chegam a afirmar sentirem-se melhor quando estão a jogar do que quando estão nas suas próprias casas. A sensação de prazer culpado que acompanha os jogadores de casino profissionais é uma séria restrição que lhes rouba um pouco do gosto do jogo, mas que por outro lado não deixa morrer neles a noção de que a vida fora do casino é a sua incontestável realidade.

Um jogador profissional precisa de escolher a “sua mesa”

Muitos dos jogadores de casino quando atingem um estatuto de elevada técnica e experiência sentem-se mais à-vontade em certos ambientes de “mesa” do que em outros, como acontece por exemplo no jogo do blackjack. Alguns preferem jogar em salas repletas de jogadores com mesas muito concorridas e animadas, enquanto outros dão prioridade a ambientes mais tranquilos aonde possam pensar e repensar as suas estratégias de jogo. O ter que se sujeitar ao ambiente de jogo tal como ele está em cada noite é uma restrição que pode chegar a ser inibidora para muitos jogadores.

Superstições

No jogo quem manda e desmanda é a sorte. A sorte diz quem vence, quem perde, quem termina a noite a sorrir ou antes pelo contrário quem rapará o fundo ao seu saldo de apostas sem chegar a sentir o sabor da vitória. Os jogadores são pessoas muito supersticiosas. Quase todos têm os seus amuletos e formas peculiares de lançar os dados, dar as cartas, escolher os números e acreditam firmemente que assim fazendo terão mais sorte. As superstições mais simples de executar raramente implicam grandes problemas, mas aquelas que dependem de outros para poderem ser postas em prática podem tornar-se em grandes restrições para os jogadores que nelas confiam.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Problemas com o álcool

Dentro dos casinos de jogo as bebidas alcoólicas circulam livremente, quase ininterruptamente e pior do que isso, são grátis. Apesar de ser uma mais-valia para os casinos e de ser até um dos motivos pelo qual muitas pessoas começam a frequentar os salões de jogo, a oferta de bebidas à descrição pode revelar-se uma condicionante para os jogadores que apresentem qualquer género de dependência em relação ao álcool. Bebendo demais o jogador vê toldada a sua capacidade de discernimento e passa a apresentar raciocínios menos claros e objetivos. O álcool, o seu consumo e o seu abuso nos casinos é uma séria restrição para diversos jogadores profissionais.

Dealers de estimação

Alguns jogadores de casino desenvolvem preferência por este ou por aquele dealer e chegam ao cúmulo de acreditar que a sua sorte está intimamente relacionada com a presença ou a ausência de determinado funcionário do casino. Desta forma passam noites inteiras no receio de apostar e perder, ou na ansiedade de ver chegar o dealer da sua eleição refreando o impulso de jogar ou não tirando dele o devido prazer. Depender de uma entidade exterior, neste caso de um dealer ou de um croupier de casino para poder viver, socializar e até apostar de forma saudável é um problema restritivo que pode e deve ser tratado e superado.

Timidez

Muitos dos jogadores profissionais são pessoas bastante tímidas e com dificuldade em estabelecer relações sociais ou em entabular conversas espontâneas com desconhecidos. Num ambiente eletrizante e efervescente como é o dos casinos de jogos alguém que seja tímido pode passar por momentos complicados. Talvez por isso os jogadores mais tímidos dediquem a quase totalidade do seu tempo no casino à atividade de apostar e jogar, enquanto os mais extrovertidos circulam pelos salões socializando intensamente a noite inteira. A timidez pode ser uma séria restrição a um jogador até na hora de apostar. O receio de se expor, de despertar as atenções sobre a sua pessoa e a sensação de estar sempre na berlinda do mundo pode inibir o jogador de se divertir em pleno. Ser tímido não belisca em nada o valor do jogador nem a sua capacidade de raciocinar e calcular técnicas e estratégias, pode contudo atrapalhar grandemente a hipótese de gozar o momento.

Num casino de jogos, tal como em todos os lugares do mundo, existem restrições. Algumas delas existem de facto e têm que ser respeitadas como regras internas que são destinadas a impor ordem e paz para todos. Outras restrições existem apenas na cabeça de quem as sente e com elas tem que lidar diariamente. Tanto umas, as reais, como as outras, as restrições criadas pela imaginação de cada jogador condicionam e limitam. No entanto é possível conviver com todas as restrições existentes e ainda assim passar longas horas de diversão dentro dos casinos.

Talvez você goste disso também:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Solve : *
26 + 6 =


Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>