Ganhe R$80 por Dia. SEM INDICAR NEM VENDER


A gente se vira como pode

Precisando de Dinheiro?

Ganhe R$80 por Dia
Sem Indicar nem Vender
Apenas Visualizando Anuncios
Forneça seus Dados para Começar

Quando Rogério e eu nos casamos, não tínhamos muito dinheiro. Na cerimônia civil, ele estava de calça jeans e camisa polo, e eu com um vestido floral que não custou nem cem reais. Nada de decoração especial ou flores, como temos visto por aí, nada de sessão de fotos. Fizemos questão de uma cerimônia religiosa, mas como era muito cara, a nossa foi realizada numa capelinha da zona rural onde passaríamos a morar, mesmo tendo sido criados e trabalhando na cidade. Queríamos sossego – e também um aluguel que conseguíssemos pagar. Decoramos a capelinha com flores que colhemos entre os pastos e garrafinhas de vidro que minha irmã havia juntado para fazer artesanato. Fizemos os arranjos e amarramos cada garrafinha com uma fita rendada nos bancos da capela. Ficou simples, mas uma graça! E como o casamento foi de manhã, servimos um almoço no quintal da nossa nova casinha, que era bem espaçoso, gramado e com algumas árvores ao redor. A festa foi até de noite.

Para economizar, preferimos não viajar em lua-de-mel, pelo menos não naquele momento. Nossa casa ainda nem tinha mobília direito! Tinha apenas os eletrodomésticos mais importantes, mas o sofá, por exemplo, eram paletes com um colchão por cima. A cama era antiga e não confiei muito na estrutura dela, então colocamos apenas o estrado no chão com o colchão sobre ele. Ficou muito baixo, e resolvemos erguê-la com paletes também – quatro, no total. Ficou até interessante! Parecia uma cama tradicional japonesa. Mas a verdade é que ainda havia muito a fazer naquela casa…

Danos na estrutura

Nos casamos na virada do verão para o outono, e ainda veríamos algumas chuvas antes da temperatura começar a cair. E já na primeira que pegamos na casa nova, percebemos infiltrações no teto, que deram início a goteiras. Como a casa era alugada, foi só entrar em contato como proprietário e ele providenciou o reparo necessário – uma telha havia se deslocado e permitido a entrada de água. Ok, essa foi fácil.

Duas semanas depois, resolvi comprar um jogo de sofás, para poder me desfazer dos paletes da sala. O problema é que, com a umidade das chuvas seguintes (a temporada durou mais ou menos uma semana), as janelas começaram a emperrar. É típico de madeira cortada no tempo errado e sem tratamento. O ideal seria trocá-las por outras mais bem feitas, mas isso o proprietário não quis fazer. Como não arcaríamos com um custo desses, o jeito foi procurar um marceneiro que desse um jeito naquela situação. Não havia muito o que fazer, então ele lixou um pouco as laterais para que o fechamento ficasse mais fácil – mas ele não poderia lixar muito, senão, no inverno, a madeira iria contrair e permitiria a entrada de ar frio dentro de casa. Não resolveu, mas melhorou.

O solo encharcado nos trouxe outra aporrinhação: o peso da casa fez com que uma das colunas afundasse mais no solo do que as outras – coisa pouca, dois centímetros, mas foi suficiente pra acordarmos com um tremendo estalo na parede uma noite. Quando acendemos a luz, havia uma grande rachadura na parede entre o nosso quarto e o banheiro. “Mas será o benedito??”, gritei. Haja paciência! Acabamos de nos casar e nos mudar “praquela” casa e já tínhamos tantos problemas para resolver! De manhã cedo liguei para o proprietário e falei da rachadura – e falei que se aparecesse mais algum defeito na casa, entregaríamos as chaves e o processaríamos por danos morais (nem sei se era possível, mas a raiva era tanta…). Assustado com minha reação – e com a quantidade de defeitos que a casa estava apresentando -, ele se prontificou a levar um engenheiro até lá. E não deu outra: a casa havia sido mal construída e continuaria dando problemas. O dono quase morreu de vergonha (depois fiquei sabendo que foi o irmão dele quem a construiu, por um “precinho camarada”) e ofereceu uma outra casa mais à frente do vilarejo e mais bem construída. Faria pelo mesmo preço desta outra. E nos mudamos pra lá.

Sabia que o Autor deste Post Ganha Dinheiro até Hoje por te-lo Escrito?
Ganhe Dinheiro Escrevendo Artigos

Enfim, paz!

Esta outra casa era bem diferente. Visivelmente mais bem construída, com portas e janelas que não emperravam com a umidade do ar, nada de goteiras nem infiltrações e nem rachaduras nas paredes. O quintal era um pouco menor e não tinha as árvores que a outra casa tinha, o que me deixou meio chateada (gostava do quintal da outra), mas fiz um jardim bem charmoso e logo ele ficou tão bonito quanto o outro quintal.

Com dois anos (sim, pra quem não tem muito dinheiro, as conquistas vêm lentamente, mas vêm), conseguimos nosso jogo de sofá e uma cama boa. Fiquei com alguns paletes para usar no quintal (fiz um jardim suspenso, ficou tão bonitinho!), e descartei os outros. Devagarzinho, a casa foi ficando com a nossa cara. E agora, cinco anos depois, estamos negociando a compra dela com o proprietário.

Talvez você goste disso também:

DOBRE SEU INVESTIMENTO em 90 DIAS

Não precisa indicar ninguém para dobrar seu investimento em 90 dias.

Basta Acessar oTudo.com/GC e Cadastrar-se.



Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>